Por que choramos?

Entenda porque você chora quando está muito triste ou feliz!

Por que choramos?
Escrito por: Ms Redação 02 de março de 2017 20h23 Comentários

Quando éramos bebês costumávamos chorar muito, essa é a maneira que “filhotes de humanos” se comunicam com seus pais e com o mundo.

Depois, quando já crescidos, começamos a chorar por muitos outros motivos e em muitas situações. Eu por exemplo choro sempre que um cãozinho morre em um filme, é a pior coisa que pode acontecer em uma obra do cinema.

Mas enfim, independente do motivo, você provavelmente já se perguntou por que choramos.

Bom, vamos começar com o fato mais surpreendente: Lágrimas não são apenas água, na verdade possuímos 3 tipos de lágrimas diferentes:

  • Lágrimas basais
  • Lágrimas reflexivas
  • Lágrimas emocionais

Cada uma é ativada por um estímulo diferente, mas todas são formadas no mesmo lugar.

Entre o seu globo ocular e as pálpebras está a glândula lacrimal, responsável por produzir e drenar as suas lágrimas.

Elas produzem lágrimas de forma constante, mas como sempre piscamos não percebemos. Estima-se que as glândulas lacrimais são capazes de produzir lágrimas o suficiente para encher um copo de medição inteiro.

Essas lágrimas são responsáveis por manter o nosso olho umedecido.

As lágrimas basais são produzidas basicamente de óleo, água e muco (viu como não é só água?). Essas são as lágrimas basais.

Já as lágrimas reflexivas acontecem quando algo incomoda o seu olho. Quando o olho fica irritado por fumaça, cebola ou um cisco, por exemplo. Quando isso acontece a sua córnea manda um sinal para o cérebro informando que “ela precisa de mais umidade”.

O cérebro então aumenta o quanto as glândulas lacrimais produzem de lágrimas e acaba te fazendo “chorar”. O choro acontece porque a produção de lágrimas é muito maior do que o sistema de drenagem dos olhos pode suportar. Essas lágrimas são totalmente feitas de água.

E por último temos a mais interessante das lágrimas, as emocionais.

Quando você está muito feliz, triste, ou assustado, o Hipotálamo tenta processar essas emoções intensas e ativa o Sistema Nervoso Automático, um sistema nervoso que não pode ser controlado.

Isso faz com que o seu coração acelere, suor comece a ser produzido e acaba levando ao choro.

Essas lágrimas são as mais interessantes, pois além de água ela possui um hormônio do estresse chamado de ACTH e Encefalina, um anestésico natural.

O porque nosso corpo tem essa capacidade não é compreendido pela ciência ainda, mas o que se sabe é que chorar alivia o estresse e literalmente anestesia dores.

Por ser uma forma de alerta, além de também conter esses benefícios, acredita-se que o choro tenha sido de grande importância no nosso processo evolutivo.

 

Você pode querer ver...
Natal: como não engordar nessa época?
Curiosidades Há 1 mês
Natal: como não engordar nessa época? De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, se você prestar atenção em dicas simples sem exagerar nas bebidas e comidas o ganho de peso é muito menor no fim de ano.
Pelos: por que temos?
Ciência Há 1 mês
Pelos: por que temos? Essa pergunta foi respondida, pelos menos parcialmente, por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia que publicaram um estudo na revista científica Cell Reports.
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas
Curiosidades Há 1 mês
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas De acordo com os autores, os resultados são animadores e que pretendem disponibilizar para download até o fim do primeiro semestre de 2019.
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra?
Curiosidades Há 1 mês
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra? O estudo demonstra que esses planetas sejam rochosos, havendo um equilíbrio para a existência de vida nesses planetas.
Primeira pomada contra picada de aranha
Ciência Há 1 mês
Primeira pomada contra picada de aranha Pesquisadores do Instituto Butatã (IB) anunciaram a produção de uma pomada capaz de salvar uma pessoa de uma picada de aranha-marrom (Loxosceles sp).
Aranha amamenta seus filhotes?
Curiosidades Há 1 mês
Aranha amamenta seus filhotes? Pesquisadores chineses afirmam que sim. Eles descobriram que uma espécie de aranha age de modo semelhante com seus filhotes.
Últimas postagens
1
Mileva, o braço direito de Einstein
2
Tartarugas marinhas são infiéis
3
Miopia: como ter uma visão melhor?
4
Ataques cardíacos no Natal e Ano Novo
5
Que palavras nos tornam humanos?
6
Farout: o planeta cor-de-rosa
7
Botas de fungos e suor
8
A formiga drácula: mandíbulas mais potentes do mundo
9
Natal: como não engordar nessa época?
10
Pelos: por que temos?
Parceiros
Publicidade