Novo implante em forma de fio pode ser a cura da diabetes

O novo implante não trata a doença de vez, mas pode facilitar a vida de quem depende de insulina para viver.

Novo implante em forma de fio pode ser a cura da diabetes
Escrito por: Ms Redação 05 de janeiro de 2018 20h57 Comentários

Uma equipe multidisciplinar de pesquisadores médicos, engenheiros e cientistas de materiais, com base na Universidade de Cornell criou um implante com potencial para fornecer tratamento a longo prazo da deficiência de insulina que decorre da diabetes tipo 1 (T1D).

Pacientes com T1D são incapazes de produzir níveis adequados de insulina devido a uma reação autoimune mal compreendida que destrói as células beta secretoras de insulina dentro do pâncreas. A doença, muitas vezes começa durante a infância, e os indivíduos afetados devem se tratar continuamente com injeções ou uma bomba de insulina para sobreviver.

Em vez de entregar insulina na corrente sanguínea, a nova invenção transplanta centenas de milhares de células beta derivadas de células-tronco para o abdômen. Os aglomerados de células, chamados de ilhotas, estão encapsulados em um hidrogel solúvel em água, feito de algas marrons, reforçado por uma rosca central de sutura de polímero de nylon modificado.

O implante em forma de corda foi intitulado TRAFFIC, Thread-Reinforced Alginate Fiber For Islets enCapsulation (Fibra de Alginato Reforçado com fio para ilhotas enCapsulation). A equipe compartilhou em uma declaração que o conceito foi inspirado por como as gotas de água se apegam às teias de aranha.

O design inovador da TRAFFIC confere várias vantagens fundamentais em relação aos implantes de ilhotas anteriores. As células são protegidas do sistema imunológico do corpo, o que significa que pacientes não precisariam imunossupressores de longo prazo, um tipo de medicamento conhecido por seus efeitos colaterais graves. Ironicamente, vários medicamentos anti-rejeição administrados a pacientes transplantados podem induzir a resistência à insulina e levam a uma forma de diabetes tipo 2 (diabetes mellitus pós-transplante).

Por estarem envoltas em hidrogel, as células também podem ser facilmente removidas quando a produção do hormônio insulínico diminui ou as ilhotas começam a se degradar. De acordo com o líder do estudo Minglin Ma, PhD, as células implantadas correm o risco de formar tumores.

"Quando eles falham ou morrem, eles precisam sair", disse Ma. "Você não quer colocar algo no corpo que você não pode retirar. Com o nosso método, não é um problema. "

Finalmente, a camada externa da linha é revestida com nanopores (furos na escala de um bilionésimo de metro de diâmetro) que liberam íons de cálcio. O primeiro autor e candidato a doutorado no departamento de engenharia biológica e ambiental da Cornell, Duo An, disse em entrevista que esta distribuição uniforme do cálcio é crítica, pois garante uma ligação mais próxima e segura entre o fio e o hidrogel de alginato, bem como uma espessura mínima e uniforme da camada de hidrogel. Acredita-se que esta propriedade facilite a difusão eficiente da insulina produzida por ilhotas embutidas fora do gel, onde pode ser absorvido pelo tecido circundante.

Uma série de experimentos iniciais avaliando o TRAFFIC, publicado antes da impressão em Proceedings of National Academy of Sciences, mostrou que o dispositivo biocompatível forneceu controle de sintomas em camundongos com diabetes induzida quimicamente por 3 a 4 meses. O estudo também demonstrou que o dispositivo poderia ser ampliado para animais maiores e que poderia ser facilmente removido através de cirurgia laparoscópica minimamente invasiva, após exames bem sucedidos em cães.

Se a tecnologia avança para testes humanos, o grupo planeja implantar aproximadamente 2 metros de fio TRAFFIC na cavidade peritoneal do paciente, um espaço entre os revestimentos da parede abdominal e o tecido que envolve os órgãos internos.

TRAFFIC recebeu proteção de patente sob a empresa farmacêutica Novo Nordisk, que também colaborou em seu desenvolvimento.

Você pode querer ver...
Chuvas no deserto do Atacama foram desastrem, não milagre
Ciência Há 2 horas
Chuvas no deserto do Atacama foram desastrem, não milagre Além de trazer novas vidas, a chuva acabou tirando algumas que existiam no solo árido.
Encontrada nova pintura de Jesus com mais de 1500 anos
Ciência Há 2 horas
Encontrada nova pintura de Jesus com mais de 1500 anos Essa é uma das pinturas mais antigas de Cristo.
Nova foto de Júpiter retirada pela sonda Juno surpreende
Ciência Há 2 dias
Nova foto de Júpiter retirada pela sonda Juno surpreende A foto é rica em detalhes e mostra um pouco das nuvens do gigante gasoso.
China começa a utilizar âncoras de TV feitos por IA
Ciência Há 5 dias
China começa a utilizar âncoras de TV feitos por IA A inteligência artificial está chegando a níveis cada vez mais assustadores.
Que tal ter a sua foto pintada por uma inteligência artificial?
Entretenimento Há 5 dias
Que tal ter a sua foto pintada por uma inteligência artificial? Recentemente quadros assim foram vendidos por milhares de dólares.
Por que o astronautas não devem vomitar no espaço?
Entretenimento Há 1 semana
Por que o astronautas não devem vomitar no espaço? A falta de gravidade faz efeitos estranhos no corpo.
Últimas postagens
1
Chuvas no deserto do Atacama foram desastrem, não milagre
2
O Facebook está começando a testar botão "desenviar"
3
Encontrada nova pintura de Jesus com mais de 1500 anos
4
Hotel cria serviço de "babá de Instagram" para hospedes
5
Aparentemente tigres adoram perfumes masculinos
6
Você sabia que o Michael Jackson era rei de verdade?
7
Caçador infame morrem durante caçada ao despencar de morro
8
Mais alguns dos peixes mai assustadores do fundo do mar
9
Peruana afirma que a sua boneca está possuída e ataca pessoas
10
Nova foto de Júpiter retirada pela sonda Juno surpreende
Parceiros
Publicidade