Cientistas conseguiram despertar paciente em coma a 15 anos

Os pesquisadores conseguiram que o corpo dele reagisse ao receber pulsos elétricos.

Cientistas conseguiram despertar paciente em coma a 15 anos
Escrito por: Ms Redação 25 de setembro de 2017 20h09 Comentários

Cientistas do Centro Nacional de Pesquisa Científica Francês usaram estimulação nervosa para induzir sinais de consciência em um homem que esteve em estado vegetativo durante quase a metade de sua vida. O indivíduo infelizmente ainda está longe de despertar completamente, mas seu caso demonstra que a consciência pode ser restaurada após um tempo muito mais longo do que se pensava anteriormente.

O nervo vagus liga o cérebro ao intestino, além outras partes do corpo. A estimulação dele demonstrou oferecer benefícios para pessoas com depressão ou epilepsia.

Este nervo também é conhecido por ter um papel no processo de acordar do sono e nos manter alertas. Juntando essas peças, a Dra. Angela Sirigu acreditou que seria possível que este nervo pudesse desempenhar um papel na restauração da consciência para pacientes em coma.

Quanto mais tempo uma pessoa está em um estado vegetativo, menos provável que ela se recupere, especialmente por vontade própria.

Para ter certeza de que todas as respostas foram resultado de sua intervenção, Sirigu buscou o paciente que estava em coma pelo período de tempo mais longo. O indivíduo escolhido teve um acidente de carro com 20 anos de idade, e permaneceu em coma até hoje, 15 anos depois.

Após um mês de estimulação do nervo vagus com uma corrente de cerca de um miliampere, o homem conseguiu virar a cabeça sob solicitação. Seus olhos podiam seguir um objeto em movimento e ele parecia ficar acordado por tempo quando alguém lia para ele. Ele também abriu espontaneamente os olhos quando a cabeça de alguém aproximou de seu rosto.

Sirigu relata na Current Biology que o eletroencefalograma (EEG) também mostrou aumento da atividade cerebral, inclusive nas ondas theta usadas para definir as diferenças entre estados de consciência. Verificou-se que a atividade metabólica aumentou no córtex e no sub-córtex, indicando a necessidade de mais combustível entre as células cerebrais.

Esses testes levaram os médicos a atualizar o status do paciente de "não responsivo" para "consciência mínima" e Sirigu conclui em uma declaração: "A plasticidade cerebral e o reparo do cérebro ainda são possíveis mesmo quando a esperança parece ter desaparecido".

O vagus exerce sua influência no cérebro induzindo a liberação do hormônio norepinefrina (também conhecido como noradrenalina).

A norepinefrina também atua como neurotransmissor, aumentando o compartilhamento de informações entre as regiões cerebrais. Sirigu e co-autores observam que além de trazer esperança aos entes queridos daqueles que estão em estados de consciência limitada, suas pesquisas fornecem uma visão de onde a consciência está no cérebro.

O trabalho, eles escrevem, identifica o córtex parietal como "um grande fator na expansão da atividade neural em regiões cerebrais", promovendo um estudo mais aprofundado sobre essa parte do cérebro.

Você pode querer ver...
Mulher que médicos pensava estar grávida carrega cisto de 25kg
Entretenimento Há 1 semana
Mulher que médicos pensava estar grávida carrega cisto de 25kg Ela nunca notou que algo parecia estar errado, até começar a ter um tamanho maior do que qualquer um consideraria normal.
Descoberta nova bactéria na Estação Especial Internacional
Ciência Há 1 semana
Descoberta nova bactéria na Estação Especial Internacional A bactéria que não existe na Terra (ainda) é resistente a antibióticos.
Novo dinossauro brasileiro é nomeado
Entretenimento Há 1 semana
Novo dinossauro brasileiro é nomeado "Thanos" A nova criatura pré-histórica foi descoberta em São José do Rio Preto.
Banheiros do futuro poderão detectar câncer pela urina
Entretenimento Há 1 semana
Banheiros do futuro poderão detectar câncer pela urina Um dos principais métodos para testar a saúde humana é através da urina, no futuro poderemos ter estes testes em casa.
Implantes cerebrais permitem que PCDs usem a internet
Ciência Há 1 semana
Implantes cerebrais permitem que PCDs usem a internet Pacientes tetraplégicos puderam controlar tablets comerciais apenas com o cérebro.
Criadas as primeiras crianças geneticamente modificadas
Ciência Há 2 semanas
Criadas as primeiras crianças geneticamente modificadas Segundo o Cientista He Jiankui ele ajudou a criar duas gêmeas com genética modificada.
Últimas postagens
1
11 imagens que mostram o drama de esperar a namorada nas compras
2
Lembra do Knickers? Acharam um boi ainda maior do que ele
3
A história da mulher que é alérgica ao frio
4
O piloto alemão que arriscou tudo para salvar inimigos na WWII
5
9 imagens que mostram um pouco as dificuldades da paternidade
6
Mulher que médicos pensava estar grávida carrega cisto de 25kg
7
Empresa na China multa funcionários que não andam o suficiente
8
Time de futebol finge morte de jogador para adiar jogo
9
Você conhece a réplica em tamanho real da arca de Noé?
10
Descoberta nova bactéria na Estação Especial Internacional
Parceiros
Publicidade