"Biorreatores" podem ser o próximo passo para regeneração e cura

Com base em estudos em répteis e anfíbios, cientistas chegam mais perto de desenvolver uma maneira para que humanos regenerem membros perdidos.

Escrito por: Ms Redação 07 de novembro de 2018 15h41 Comentários

Se uma salamandra ou um tritão (o anfíbio, não o 'sereio') perde uma perna, ela "milagrosamente" voltaria à sua forma original, mais ou menos. Na verdade, alguns anfíbios selecionados podem regenerar membros, caudas, mandíbulas, olhos e algumas estruturas internas.

Imagine o avanço biomédico se os humanos conseguissem aproveitar o poder desse pequeno truque. Embora esse sonho ainda esteja longe, um novo estudo mostrou como podemos acelerar a regeneração de membros de rãs-de-unhas-africanas (Xenopus laevis) colocando-as em um biorreator, uma minúscula caixa cheia de uma sopa de hormônios e eletrocêuticos ligados diretamente a ferida após a amputação. O sucesso do experimento também está levando cientistas a pensar que talvez a regeneração completa de membros seja possível também em mamíferos.

"Na melhor das hipóteses, as rãs adultas normalmente crescem de volta apenas uma ponta fina e cartilaginosa", explicou Michael Levin, biólogo de desenvolvimento do Allen Discovery Center, da Universidade Tufts, em comunicado. "Nosso procedimento induziu uma resposta regenerativa que eles normalmente nunca têm, o que resultou em anexos maiores e mais estruturados. O dispositivo biorreator desencadeou resultados muito complexos que os bioengenheiros ainda não conseguem microgerenciar diretamente."

Conforme publicado na revista Cell Reports, os cientistas colocaram um gel com proteínas de seda hidratantes que promovem a cicatrização e regeneração e o hormônio progesterona dentro do biorreator impresso em 3D. Embora a progesterona seja talvez mais comumente associada a ciclos menstruais e gravidez, ela também pode ser usada para promover a reparação de nervos, vasos sanguíneos e tecido ósseo.

“Talvez a reprodução, o processamento cerebral e a regeneração estejam mais próximos do que imaginamos”, acrescentou a primeira autora e neurocientista Celia Herrera-Rincon.

As rãs sem pernas só foram deixadas no biorreator durante 24 horas, no entanto, ao longo dos próximos 9,5 meses, as rãs conseguiram criar um novo membro com fibras nervosas e vasos sanguíneos bem organizados, que podiam usar para nadar e remar. Embora não apresentasse um pé totalmente formado, estava muito mais perto de um membro totalmente formado do que a regeneração sem ajuda poderia criar.

"O dispositivo biorreator criou um ambiente de apoio para a ferida, onde o tecido poderia crescer como fez durante a embriogênese", disse Levin. "Uma aplicação muito breve do biorreator e sua carga útil desencadearam meses de crescimento e padronização de tecidos".

Muitos animais que são capazes de regeneração efetiva são anfíbios, como tritões ou salamandras, ou répteis, como os lagartos e lagartixas, que podem regredir sua cauda se ela foi arrancada. Tem sido sugerido que camundongos possam regenerar pontas de dedos amputadas sob certas circunstâncias, mas o desgaste de caminhar sobre os membros significa que a regeneração é difícil. Então, em seguida, os pesquisadores esperam replicar seu experimento de biorreatores em mamíferos.

 

Você pode querer ver...
Veja a 1ª imagem de um buraco negro da história, um verdadeiro 'monstro' maior que o Sistema Solar
Ciência Há 5 mêss
Veja a 1ª imagem de um buraco negro da história, um verdadeiro 'monstro' maior que o Sistema Solar Primeira imagem de um buraco negro é finalmente tirada e ele é considerado um verdadeiro ‘monstro’ pelos Astrônomos.
Natal: como não engordar nessa época?
Curiosidades Há 9 mêss
Natal: como não engordar nessa época? De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, se você prestar atenção em dicas simples sem exagerar nas bebidas e comidas o ganho de peso é muito menor no fim de ano.
Pelos: por que temos?
Ciência Há 9 mêss
Pelos: por que temos? Essa pergunta foi respondida, pelos menos parcialmente, por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia que publicaram um estudo na revista científica Cell Reports.
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas
Curiosidades Há 9 mêss
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas De acordo com os autores, os resultados são animadores e que pretendem disponibilizar para download até o fim do primeiro semestre de 2019.
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra?
Curiosidades Há 9 mêss
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra? O estudo demonstra que esses planetas sejam rochosos, havendo um equilíbrio para a existência de vida nesses planetas.
Primeira pomada contra picada de aranha
Ciência Há 9 mêss
Primeira pomada contra picada de aranha Pesquisadores do Instituto Butatã (IB) anunciaram a produção de uma pomada capaz de salvar uma pessoa de uma picada de aranha-marrom (Loxosceles sp).
Últimas postagens
1
5 canais que estão no Youtube e que são no mínimo inusitados
2
Quais são os próximos filmes da Marvel que já foram confirmados?
3
Os 5 lugares mais sujos da sua casa
4
O futuro da Marvel – Novo trailer Homem-Aranha: Longe de Casa
5
Os empregos mais estranhos do mundo
6
Redmi lança versão “Avengers Edition” para Redmi 7 e Note 7
7
Ferramentas incríveis escondidas no Google
8
Quanto tempo cada herói apareceu em Vingadores: Ultimato
9
Vingadores Ultimato em busca do recorde de Bilheteria
10
Samurai 8: The Tale Of Hachimaru – Novo mangá de Kishimoto
Parceiros
Publicidade