Novos testes conseguem matar 80% dos mosquitos, na Austrália

Alguns testes semelhantes também estão acontecendo no Brasil.

Novos testes conseguem matar 80% dos mosquitos, na Austrália
Escrito por: Ms Redação 11 de julho de 2018 21h13 Comentários

A Austrália pode ser o lar de coalas, cangurus e cafeterias modernas que vendem brócolis com leite, mas a única coisa pela qual é realmente conhecida é a abundância de animais tentando matar todo mundo. Neste quesito, os mosquitos pode não chamar tanta atenção quanto os crocodilos, mas podem ser muito mais mortais.

Por exemplo o Aedes aegypti (grande conhecido dos Brasileiros, não é mesmo), também conhecido como mosquito da febre amarela. O parasita sugador de sangue tem uma reputação merecida por espalhar doenças tropicais como o Zika e a dengue.

Agora, graças a uma parceria internacional entre a Commonwealth Scientific e a Industrial Research Organization (CSIRO), a Verily e a James Cook University, os cientistas australianos conseguiram  erradicar mais de 80% desses mosquitos em três locais de testes.

No que soa como um movimento contraproducente, a equipe criou 20 milhões de mosquitos em um laboratório e liberou 3 milhões em três cidades na Costa do Cassowary no verão passado. Claro, estes não eram mosquitos normais. Estes eram mosquitos machos geneticamente modificados para serem inférteis. E porque os machos não mordem (eles preferem morder o néctar de plantas), não havia risco de espalhar a doença. Em vez disso, eles passaram o tempo acasalando com as fêmeas para colocar ovos que nunca eclodiram.

Como resultado, a população caiu drasticamente. Em apenas oito meses (novembro de 2017 a junho de 2018), o Aedes aegypti caiu 80% nos locais de testes, o que é uma boa notícia para os moradores do norte de Queensland.

"O mosquito invasor Aedes aegypti é uma das pragas mais perigosas do mundo, capaz de espalhar doenças devastadoras como dengue, zika e chikungunya e responsável por infectar milhões de pessoas com doenças em todo o mundo a cada ano", disse Rob Grenfell, diretor de saúde e saúde e biossegurança da CSIRO, disse em um comunicado.

"Embora a maioria dos mosquitos não espalhe doenças, os três tipos mais letais, o Aedes, o Anopheles e o Culex, são encontrados em quase todo o mundo e são responsáveis ??por cerca de 17% das transmissões globais de doenças infecciosas."

Uma vez confinada a áreas próximas ao equador, a distribuição do Aedes aegypti está se espalhando graças a uma combinação de urbanização, movimento humano e mudança climática. A erradicação deste inseto não deve causar muito dano ecológico à Austrália, porque não é uma espécie nativa.

Esta não é a primeira vez que os cientistas aproveitam o poder da infertilidade masculina para combater pragas indesejáveis. É um método chamado a técnica do inseto estéril e tem existido desde os cinquenta. Embora estudos baseados em laboratório tenham aplicado essa prática a mosquitos portadores de doenças, a implementação é complicada devido ao grande número de machos inférteis necessários. Felizmente, a nova tecnologia está facilitando isso.

Os testes foram restritos ao norte de Queensland por enquanto, embora a Verily tenha anunciado que pode organizar testes adicionais. Enquanto isso, ensaios semelhantes estão ocorrendo atualmente no Brasil e nas Ilhas Cayman.

Você pode querer ver...
Natal: como não engordar nessa época?
Curiosidades Há 3 mêss
Natal: como não engordar nessa época? De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, se você prestar atenção em dicas simples sem exagerar nas bebidas e comidas o ganho de peso é muito menor no fim de ano.
Pelos: por que temos?
Ciência Há 3 mêss
Pelos: por que temos? Essa pergunta foi respondida, pelos menos parcialmente, por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia que publicaram um estudo na revista científica Cell Reports.
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas
Curiosidades Há 3 mêss
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas De acordo com os autores, os resultados são animadores e que pretendem disponibilizar para download até o fim do primeiro semestre de 2019.
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra?
Curiosidades Há 3 mêss
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra? O estudo demonstra que esses planetas sejam rochosos, havendo um equilíbrio para a existência de vida nesses planetas.
Primeira pomada contra picada de aranha
Ciência Há 3 mêss
Primeira pomada contra picada de aranha Pesquisadores do Instituto Butatã (IB) anunciaram a produção de uma pomada capaz de salvar uma pessoa de uma picada de aranha-marrom (Loxosceles sp).
Aranha amamenta seus filhotes?
Curiosidades Há 3 mêss
Aranha amamenta seus filhotes? Pesquisadores chineses afirmam que sim. Eles descobriram que uma espécie de aranha age de modo semelhante com seus filhotes.
Últimas postagens
1
Conheça mais sobre o Massacre em Suzano
2
Confira como seriam alguns rappers famosos sem suas tatuagens
3
Canais bizarros no Youtube
4
A mulher que se casou com uma boneca zumbi
5
5 mortes bizarras durante o sexo
6
5 coisas proibidas na Coreia do Norte
7
As 5 profissões mais bem remuneradas da Angola
8
5 imagens que vão 'bugar' seu cérebro!
9
Animais que são parecidos com dragões
10
Piores insetos do mundo
Parceiros
Publicidade