Bactérias, novas aliadas na luta contra o Câncer?

Em 2014 um grupo de pesquisadores encontraram uma bactéria que produzia alguns compostos que inibiam o desenvolvimento de gliomas, um tipo de tumor/câncer.

Bactérias, novas aliadas na luta contra o Câncer?
Foto: Leonardo Silva
Escrito por: Ms Redação 16 de dezembro de 2018 14h16 Comentários

Já comentamos em outros textos aqui no site sobre a grande diversidade de espécies ao longo das regiões neotropicais. Mas acabamos sempre esquecendo de falar de outras áreas do mundo, uma delas é a Antártida. A Antártida corresponde a aproximadamente uma vez e meia maior que todo o território do Brasil, porém, coberta de uma grossa camada de gelo. Ao contrário do que o imaginário popular propaga, essas regiões geladas e desérticas têm suas próprias biotas (conjunto de seres vivos) e esses seres vivos apresentam adaptações incríveis que os possibilitam viverem nesses ambientes.

Foi usando esse raciocínio que o pesquisador Leonardo José Silva aluno da Universidade de São Paulo (USP) resolveu explorar esses ambientes na Antártida (Figura 1). Inicialmente ele queria coletar algumas gramíneas (pequenas gramas) da espécie Deschampsia antarctica com objetivo de conhecer as bactérias que viviam somente nesses pequenos vegetais (Figura 2). Em 2014 ele e um grupo de pesquisadores foram para a Antártida e coletaram essas gramíneas e ao analisarem as bactérias que viviam nelas encontraram uma que produzia alguns compostos que inibiam o desenvolvimento de gliomas, um tipo de tumor/câncer que acomete o cérebro, a medula espinhal, a mama e o pulmão.

Figura 1. Leonardo coletando gramíneas em áreas da Antártida. Foto: Leonardo Silva.

Além disso, Leonardo ainda descreveu cinco novas espécies de bactérias endêmicas (que só vivem em um local) da Antártida. Ele e sua equipe ainda criaram um banco de dados cm 72 linhagens bacterianas. De acordo com Leonardo, "Como consequência das atividades de pesquisa, obtivemos uma coleção de actinobactérias produtoras de compostos antitumorais, as quais poderão ser exploradas em maior profundidade por meio de parcerias entre centros de pesquisas públicos ou pela iniciativa privada". Ele ainda acrescenta, "A razão pela qual empenhamos nossos esforços para a obtenção de compostos ativos é contribuir com o desenvolvimento de tratamentos para o câncer, de forma a prover maior expectativa de vida para pacientes." Na ciência chamamos esses compostos de bioativos, ou seja, compostos que podem ajudar em algum tratamento ou desenvolvimento de droga ou medicamento na cura de alguma doença.

Figura 2. Gramíneas coletadas por Leonardo e sua equipe. Foto: Leonardo Silva.

Os autores comentam sobre as perspectivas criadas a partir da dessas descobertas, "Os próximos estágios são testes in vivo (com animais), modificações estruturais para manter sua atividade e evitar efeitos danosos em células não doentes, testes da dosagem ideal e do encapsulamento das substâncias e, por fim, os ensaios em seres humanos. Tendo em vista que apenas duas linhagens descobertas foram exploradas, e que temos mais 15 outras produtoras de compostos anticâncer sem qualquer informação adicional, tenho como principal interesse estudá-las, em busca de novos compostos bioativos". Esse cenário de descobertas científicas diverge com o atual cenário político e conservacionista do Brasil. Pesquisas como essa correm grande risco de acabar por conta do corte de bolsas de pesquisas e financiamento de projetos. Os órgãos que cuidam disso como a CAPES e o CNPq estão a cada ano com orçamentos minúsculos, o que dificulta o avanço nas pesquisas.

Você pode querer ver...
Natal: como não engordar nessa época?
Curiosidades Há 1 mês
Natal: como não engordar nessa época? De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, se você prestar atenção em dicas simples sem exagerar nas bebidas e comidas o ganho de peso é muito menor no fim de ano.
Pelos: por que temos?
Ciência Há 1 mês
Pelos: por que temos? Essa pergunta foi respondida, pelos menos parcialmente, por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia que publicaram um estudo na revista científica Cell Reports.
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas
Curiosidades Há 1 mês
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas De acordo com os autores, os resultados são animadores e que pretendem disponibilizar para download até o fim do primeiro semestre de 2019.
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra?
Curiosidades Há 1 mês
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra? O estudo demonstra que esses planetas sejam rochosos, havendo um equilíbrio para a existência de vida nesses planetas.
Primeira pomada contra picada de aranha
Ciência Há 1 mês
Primeira pomada contra picada de aranha Pesquisadores do Instituto Butatã (IB) anunciaram a produção de uma pomada capaz de salvar uma pessoa de uma picada de aranha-marrom (Loxosceles sp).
Aranha amamenta seus filhotes?
Curiosidades Há 1 mês
Aranha amamenta seus filhotes? Pesquisadores chineses afirmam que sim. Eles descobriram que uma espécie de aranha age de modo semelhante com seus filhotes.
Últimas postagens
1
Mileva, o braço direito de Einstein
2
Tartarugas marinhas são infiéis
3
Miopia: como ter uma visão melhor?
4
Ataques cardíacos no Natal e Ano Novo
5
Que palavras nos tornam humanos?
6
Farout: o planeta cor-de-rosa
7
Botas de fungos e suor
8
A formiga drácula: mandíbulas mais potentes do mundo
9
Natal: como não engordar nessa época?
10
Pelos: por que temos?
Parceiros
Publicidade