Agora você pode visitar o espaço com o Google Maps

A ferramenta agora permite que a pessoa vá até o espaço e conheça alguns lugares bem interessantes do nosso cosmos.

Agora você pode visitar o espaço com o Google Maps
Escrito por: Ms Redação 17 de outubro de 2017 00h56 Comentários

O Google Maps é uma ferramenta interessante e que todo mundo já conhece. Ele é uma ferramenta que pode ser usada por coisas incríveis, como procurar easter eggs por aí, ou então fazer uma caminhada imaginária pelo seu bairro ao invés de uma caminhada real.

O serviço vem trazendo novidades cada vez mais interessantes. Sempre incrementando a sua base de dados para sempre trazer uma experiência mais exata para os seus usuários. Agora, além de ruas, é possível visitar até mesmo planetas!

Segundo o blog da Google, os dados reunidos para a criação dos planetas que é possível visitar usando a ferramenta vieram principalmente da sonda Cassini-Huygens, lançada há 20 anos no Cabo Canaveral. Sua missão foi registrar e mandar para a Terra quase meio milhão de fotos, o que permitiu aos cientistas reconstruir mundos distantes com “detalhes sem precedentes”.

Usar a plataforma é bem fácil, basta fazer o mesmo que você faz usando a versão terrestre do Google Maps, que ganhou uma “forcinha” do Google Earth: do lado esquerdo ficam as opções e basta você selecionar uma delas para ver como é a representação gráfica da estrutura. A partir daí é possível observar com zoom, navegar pelos nomes dados a crateras, sulcos, fossas e outros “endereços” espaciais.

Uma das coisas mais legais por aqui é poder conhecer “mais de perto” a Estação Espacial Internacional e planetas que contam com mais dados na base da NASA, a exemplo de Marte. A navegação, contudo, deve passar por alguns ajustes nos próximos meses, já que nem tudo está traduzido para outras línguas — inclusive para o português brasileiro.

Além disso, ao se aprofundar em determinados tópicos fica fácil perder contato com a interface inicial, sem ao menos ter um botão de retorno ou de home. Mas, enfim, isso tudo deve ser corrigido em breve e vale bastante apena, mesmo com os bugs. 

Você pode querer ver...
Natal: como não engordar nessa época?
Curiosidades Há 3 mêss
Natal: como não engordar nessa época? De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, se você prestar atenção em dicas simples sem exagerar nas bebidas e comidas o ganho de peso é muito menor no fim de ano.
Pelos: por que temos?
Ciência Há 3 mêss
Pelos: por que temos? Essa pergunta foi respondida, pelos menos parcialmente, por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia que publicaram um estudo na revista científica Cell Reports.
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas
Curiosidades Há 3 mêss
Aplicativo promete detectar anemia sem agulhas De acordo com os autores, os resultados são animadores e que pretendem disponibilizar para download até o fim do primeiro semestre de 2019.
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra?
Curiosidades Há 3 mêss
Novos sóis e novos planetas: vida fora da Terra? O estudo demonstra que esses planetas sejam rochosos, havendo um equilíbrio para a existência de vida nesses planetas.
Primeira pomada contra picada de aranha
Ciência Há 3 mêss
Primeira pomada contra picada de aranha Pesquisadores do Instituto Butatã (IB) anunciaram a produção de uma pomada capaz de salvar uma pessoa de uma picada de aranha-marrom (Loxosceles sp).
Aranha amamenta seus filhotes?
Curiosidades Há 3 mêss
Aranha amamenta seus filhotes? Pesquisadores chineses afirmam que sim. Eles descobriram que uma espécie de aranha age de modo semelhante com seus filhotes.
Últimas postagens
1
Coisas esquisitas que são ou foram proibidas em outros países
2
5 objetos nojentos que você nem imaginava
3
Conheça mais sobre o Massacre em Suzano
4
Confira como seriam alguns rappers famosos sem suas tatuagens
5
Canais bizarros no Youtube
6
A mulher que se casou com uma boneca zumbi
7
5 mortes bizarras durante o sexo
8
5 coisas proibidas na Coreia do Norte
9
As 5 profissões mais bem remuneradas da Angola
10
5 imagens que vão 'bugar' seu cérebro!
Parceiros
Publicidade